domingo, 3 de outubro de 2010

BRASIL sem Homofobia.

video
Gente, a vida nesse planeta seria muito mais fácil se todos buscássemos entender o próximo, não para julgá-lo e classificá-lo mas para conhecer aquela outra vida, aquela outra realidade que por vez nos ajudará a nos encontrarmos, a progredirmos...pq só assim conhecendo os dois ados da história, a nossa (um pré-conceito) e a nova (um novo conceito), e assimilamos o que realmente importa.
Eu não entendo pq as pessoas se importam tanto com a orientação sexuais dos outros, e esquecem do ser humano que está sendo criticado, humilhado e por vezes machucado por tamanha ignorância!!!
Devemos deixar de nos tratarmos como coisas e lembrarmos que somos todos humanos e que além de tudo temos mente, coração e alma!!
Obrigada por visitarem o nosso blog ;)

o que você faz quando ninguém te vê? :)

video



Achei a música bem interessante por falar nas coisas que as pessoas fazem quando ninguém vê...
Ninguém sabe se uma pessoa que se diz homofóbico também nao sente atração por pessoas do mesmo sexo..
Vai saber, né?
rsrs
' Bom, começaremos pelas seguintes perguntas: Será que os meninos escolheram a cor azul, ou o futebol? Será que as meninas escolheram a cor rosa, ou a boneca? Em alguma parte do nosso corpo, temos algum botão que ative a opção Gay.?
NÂO!!
Nesse caso, a esolha amar pode significar uma ofensa à sociedade..
Qual o caminho à seguir?
Não importa a combinação. O que importa é que o preconceito não pode vencer o amor!
Cada um tem o seu Livre Arbítrio e ama quem quiser amar.
Você não precisa ser Homossexual para respeitar um Homossexual.
A pressão é tanta que alguns desistem, mas muitos preferem lutar e ser feliz.
Se liga! Homofobia MATA!
e também é Crime!

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Ricky Martin assume ser homossexual


'Tenho orgulho de dizer que sou um homem homossexual' diz o cantor.


O cantor pop Ricky Martin disse nesta segunda feira (29) em seu site oficial que tem orgulho de ser homossexual. A notícia se espalhou por sites em grande velocidade, ele postou em seu site a noticia em inglês e espanhol.


"Eu tenho o orgulho de dizer que sou um homem homossexual. Eu sou muito abençoado em ser como sou". disse ele.


Ele afirmou ainda no site que algumas pessoas disseram que ele não podia estragar uma carreira de anos contando uma notícia como esta. Por ser pessoas que ele ama muito, ele decidiu esconder sua opção sexual por todos esses anos.

O texto do site termina com a seguinte frase escrita por Ricky:
"Hoje aceito minha homossexualidade como um presente que me dá a vida. Sinto-me abençoado por ser quem sou!"


matéria: G1
foto: google

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Primeiro casal gay a casar na América-Latina parte em Lua de Mel. *-*



Em dezembro, Alex Freyre e José María Di Bello foram o primeiro casal gay a trocar alianças na América Latina
Foto:Divulgação / EFE


Alex e José viajam sexta-feira para Roma

Alex Freyre, de 40 anos, e José María Di Bello, de 41 anos, embarcam para Roma nesta sexta-feira. Os dois, argentinos de Buenos Aires, vão à Itália para passar a Lua de Mel.

Além da viagem, os dois têm mais motivos para comemorar. O Senado argentino permitiu, em votação que terminou na madrugada desta quinta-feira, que outros homossexuais se casassem.

Você acredita que os parlamentares brasileiros aprovariam uma lei semelhante à argentina? Dê sua opinião.
meses, antes de a prática ser legalizada no país, sendo os primeiros gays a trocarem alianças na América Latina. A permissão para o matrimônio veio depois de uma batalha de nove meses na Justiça. Desde 28 de dezembro de 2009, o casal Alex e José têm os mesmos direitos de casais heterossexuais — direitos que foram estendidos a todos os gays e lésbicas da Argentina.

— É uma proteção para nossas famílias e o reconhecimento de nossos direitos fundamentais. O primeiro e maior obstáculo que enfrentamos foi criar coragem e confiança para buscarmos nosso casamento — disse Alex, que trabalha como diretor executivo da Associação Buenos Aires SIDA.

A aprovação do casamento gay na Argentina não foi sem conflitos.
Protestos contra e a favor da medida tomaram conta de Buenos Aires. Em jogo não estava apenas o direito de casar, mas também de adotar. Quando perguntado se pensa em ter filhos, Alex diz que pretende alcançar a estabilidade financeira e ter casa própria para amadurecer a ideia.

No Brasil, o casamento entre pessoas do mesmo sexo não é legalizado. Entretanto, alguns casais já assinaram contratos de união estável. Os porto-alegrenses Roberto, de 38 anos, e Marcelo, de 39, vivem juntos há seis anos. Há três eles formalizaram a relação em busca de garantias civis.

— Direitos civis, direitos de partilha, são extremamente importantes. Isso nós já temos por aqui, mas seria bom que o casamento gay fosse legalizado logo. Acho que foi um avanço para os argentinos, mas devo confessar que já fico satisfeito com o fato de não me impedirem de ser homossexual, como fazem em países como o Irã — diz Roberto.

Veja como é a situação dos casais homossexuais em outros países

Roberto conta que já discutiu com um casal de amigas lésbicas a possibilidade de usar a inseminação artificial para que tenham filhos. A ideia ainda será amadurecida pelos dois casais.Como uma numerosa família, viveriam felizes para sempre.

— Nossos filhos teriam dois pais e duas mães. Além de muito amor, ia ser muito pouco provável que ficassem órfãos — brinca.



Fonte: ZEROHORA.COM

{antes de tuudo} Grupos contrários e favoráveis ao casamento gay entram em confronto na Argentina


Manifestantes foram separados por policiais
Foto:Juan Mabromata, AFP



Senado debate nesta quarta-feira projeto de lei que permitirá a união entre homossexuais

Defensores e opositores do casamento entre pessoas do mesmo sexo confrontaram-se verbalmente nesta quarta-feira em frente ao Congresso argentino, onde o Senado debate um projeto de lei que, se aprovado, permitirá o casamento entre homossexuais.

"Igreja, lixo, vocês são a ditadura!", gritavam centenas de representantes de organizações homossexuais e de partidos de esquerda contra integrantes de grupos católicos que respondiam com orações e elevando imagens da Virgem Maria, mostraram as emissoras locais.

Diante das agressões, os grupos foram separados por policiais, que receberam uma chuva de laranjas e ovos.

Organizações católicas e evangélicas realizaram nesta terça-feira um ato diante do Congresso para pedir aos senadores que não aprovem o projeto.

Os incidentes ocorreram em um momento em que o Senado debate a iniciativa que autoriza o casamento homossexual, em uma votação que deverá ser acirrada.



Fonte: AFP

Argentina aprova lei que autoriza casamento homossexual



- Milhares de pessoas acompanharam a votação em frente ao Congresso argentino, em Buenos Aires
Foto:Juan Mabromata, AFP



Projeto recebeu 33 votos a favor e 27 contrários


Em uma polêmica que dividiu a população e os políticos do país, o Senado da Argentina aprovou na madrugada desta quinta-feira o controverso projeto de lei que autoriza o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A lei teve 33 votos favoráveis e 27 contrários. Três senadores se abstiveram da votação.

Segundo o texto do projeto, "o casamento terá os mesmos requisitos e efeitos, independente de os contratantes serem do mesmo ou de diferente sexo". Um dos pontos mais controversos dessa equiparação está na possibilidade de os casais homossexuais adotarem crianças.

O projeto rachou as fileiras do próprio governo argentino. O tema — que também provocou divisões na oposição — gerou, segundo analistas, o maior debate na sociedade argentina desde a votação da lei do divórcio, em 1987.

De acordo com o jornal argentino El Clarín, a senadora Victoria Blanca Osuna, da Aliança Frente Justicialista, foi uma das parlamentares que se manifestou favorável à iniciativa.

— Não são questões religiosas ou morais as que estão em jogo aqui. Estamos estabelecendo a responsabilidade da democracia com minorias discriminadas.

José Mayans, da Frente para la Victoria, se manifestou contra o projeto porque considera o matrimônio entre homem e mulher "fundamental" para o "sistema social".

— Não creio que nós estejamos cometendo discriminação ou negação de direitos. A instituição do casamento não pode ser aniquilada. Se uma pessoa se sente discriminada tem de recorrer à Justiça — afirmou.

Defensores e opositores do casamento entre pessoas do mesmo sexo confrontaram-se verbalmente em frente ao Congresso argentino, onde os dois grupos fizeram manifestações até a madrugada de hoje, apesar da temperatura em torno dos 5°C. "Igreja, lixo, vocês são a ditadura!", gritavam centenas de representantes de organizações pró-homossexuais e de partidos de esquerda contra integrantes de grupos católicos, que, por sua vez, respondiam com orações e imagens da Virgem Maria.

De acordo com a consultoria Isonomia, que realizou uma pesquisa em toda a Argentina, 46,2% dos entrevistados se manifestaram contra o casamento gay e 39,8% a favor. Outros 14% não têm opinião formada. Já o instituto Analogías, que ouviu somente a população das maiores cidades, apurou que 68,5% são a favor, enquanto 29,6% são contra.

Fonte: ZERO HORA